Capitão América: Guerra Civil

 

Filmes de super-heróis não são um material fácil de se lidar. Dentre as dezenas de películas baseadas em quadrinhos, há muitos acertos, há algumas obras efetivamente grandiosas e muita coisa ruim. É um gênero de extremos. Ainda que o super-herói seja uma personificação anabolizada do desejo do ser humano de lutar por justiça e corrigir erros da sociedade – não há como esconder o fator vigilante nessa equação – , há o fato inegável de que o que temos a nossa frente nada mais é do que um bando de adultos paramentados como se estivessem prontos para um baile de carnaval.

Continuar lendo “Capitão América: Guerra Civil”

Anúncios

Façam suas Apostas | Oscar 2016

Já escolheu quais são os seus favoritos para o Oscar 2016?

O Mister Glass já fez as suas escolhas. Confira quais devem ser as barbadas, as surpresas que podem pintar e as decepções, que serão muitas, com certeza.

E lembrando, a cerimônia de premiação do Oscar acontece no dia 28 de fevereiro, a partir das 23h00, no canal por assinatura TNT.

Ou na Globo, depois do Big Brother. Continuar lendo “Façam suas Apostas | Oscar 2016”

O Regresso (2015)

Não há uma cena sequer em O Regresso que não esteja a serviço do virtuosismo técnico e narrativo do diretor Alejandro Gonzáles Iñárritu – vencedor do Oscar de Direção em 2014 por Birdman. Se isto transforma o filme em uma experiência sensorial como poucas, também mostra um diretor que, assim como em Birdman, parece mais preocupado em mostrar seu talento como artista (e esteta) do que em contar a sua história. Em alguns momentos, isso pode soar de forma absolutamente brilhante. Em outros, porém, soa apenas como verniz desnecessário e por vezes inconveniente. Continuar lendo “O Regresso (2015)”

Os Piores Filmes de 2015

O fim do ano se aproxima. Assim como temos que exaltar o que de ótimo e excelente aconteceu nos cinemas em 2015, não custa nada dar uma olhada nas vergonhas alheias que pintaram na telona ao longo do ano.

Como já é tradição, confira agora nossa lista com os 20 Piores Filmes de 2015, a partir de nossas já conhecidas categorias de ruindade. Os 10 primeiros colocados são os filmes cuja nota, em uma escala de 0 a 10, chegaram até no máximo uma nota 1. O resto você pode imaginar. Continuar lendo “Os Piores Filmes de 2015”

Star Wars: O Despertar da Força (2015)

A fascinação do público por Star Wars pode ser facilmente medida em (grandes) números. Uma das franquias mais admiradas e bem-sucedidas do cinema, Star Wars tornou-se, desde a estreia, em 1977, do então Guerra nas Estrelas, um sucesso não apenas no cinema, mas um fenômeno em termos de comercialização de produtos que vão desde action figures, passando por camisetas, cobertores e sandálias e tudo mais que você puder pensar .
Continuar lendo “Star Wars: O Despertar da Força (2015)”

Série | Jessica Jones – 1ª Temporada

O formato sacramentado pela rede de streaming Netflix ao lançar a maioria de suas séries – todos os episódios disponibilizados de uma só vez em um mesmo dia – tem uma boa dose de vantagens, assim como seus problemas. A principal vantagem é que é possível estabelecer uma unidade narrativa eficiente, na qual todos os elementos são pensados e posicionados de forma a criar um grande filme de 12 horas de duração. Por outro lado, qualquer necessidade de ajuste ao longo da temporada se mostra irrelevante, já que não é possível sequer medir a resposta do público de maneira tradicional. Continuar lendo “Série | Jessica Jones – 1ª Temporada”

Modus Anomali | Ritual (2012)

Os primeiros 10 minutos de Modus Anomali, escrito e dirigido pelo indonésio Joko Anwar, estabelece com brilhantismo todo o clima de tensão, insegurança, desespero e incredulidade que irá se instalar na narrativa ao longo de seus quase 90 minutos de duração. Um homem (Rio Dewanto) desperta dentro de uma vala em meio a uma floresta. Sem se lembrar de sua identidade, o homem vagueia pela mata até encontrar uma cabana, na qual vê uma fita que mostra sua esposa sendo assassinada. Resta a ele agora encontrar seus dois filhos que estão desaparecidos e escapar da fúria de um assassino desconhecido.

Continuar lendo “Modus Anomali | Ritual (2012)”

Beasts of No Nation (2015)

Primeiro longa metragem produzido pelo Netflix, Beasts of No Nation conta a história do jovem Agu (o pequeno e impressionante Abraham Attah) que após a morte de sua família é adotado pelo Comandante de um grupo guerrilheiro de um obscuro país da África, tornando-se parte de um exército formado em sua maioria por crianças. Escrito e dirigido por CaryFugunaga (da primeira temporada de True Detective), Beasts possui ecos inegáveis de Apocalipse Now, seja na figura ao mesmo tempo fascinante e repugnante do personagem do Comandante interpretado por Idris Elba como na própria trajetória de Agu, que vai se tornando cada vez mais violenta e surreal, numa espiral de violência regada a lavagem cerebral, rituais sadísticos e abuso de todo os tipos. Continuar lendo “Beasts of No Nation (2015)”

Canibais (2015)

Homenagem explícita aos filmes de canibais que explodiram no cinema italiano nos anos 70 e 80 – em especial o maldito Canibal Holocausto – o novo filme de Eli Roth (de O Albergue e o recente Bata Antes de Entrar) entrega exatamente o que se espera deste tipo de filme: muitas visceras, cenas de desmembramentos e abusos dos mais diversos tipos, com um gore caprichado cortesia do mestre Greg Nicotero e mais duas equipes de efeitos visuais.

Continuar lendo “Canibais (2015)”

As Memórias de Marnie (2014)

Provável último filme do estúdio Ghibli – que nos deu obras primas como Meu AmigoTotoro, A Viagem de Chihiro e o recente A Lenda da Princesa KaguyaAs Memórias de Marnie é uma obra de uma sensibilidade e delicadeza ímpares. E mesmo que não chegue a ser uma obra-prima perfeita como os citados acima, é um filme maravilhoso e emocionante – o que nos força a cair novamente no clichê já comum às obras do Ghibli: um verdadeiro poema em movimento. Continuar lendo “As Memórias de Marnie (2014)”

Bata Antes de Entrar (2015)

A assinatura de Eli Roth na direção do suspense Bata Antes de Entrar poderia dar a entender que estamos de frente a um filmes repleto de vísceras, com um gore dos mais exagerados e repleto de misoginia. Quase lá. Ainda que esteja bem mais contido do que em suas obras mais conhecidas, como O Albergue, Cabana do Inferno ou o ainda inédito Green Inferno, é fácil perceber que algumas opções conceituais obedecem claramente à cartilha estabelecida pelo diretor: o desenvolvimento parco dos protagonistas, a completa falta de sutileza, um humor para lá de equivocado e lições de moral das mais infames. Continuar lendo “Bata Antes de Entrar (2015)”

Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível

Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível é um filme ambicioso, otimista como poucos, quase um tributo à capacidade do ser humano de sonhar com um mundo melhor, de criar maravilhas tecnológicas que inspirem a humanidade. Visualmente deslumbrante, o filme traz a assinatura de Brad Bird, um dos diretores mais inventivos da atualidade, responsável por filmes como Os Incríveis, Ratatouille, Gigante de Ferro e Missão Impossível: Protocolo Fantasma. Por isso tudo, é uma pena que o filme seja tão irregular e, em última análise, uma experiência frustrante, pela grandiosidade que em algum lugar deixou de ser atingida. Continuar lendo “Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível”

Cinema e Espiritualidade

Desde seu início, o cinema se estabeleceu como uma das formas mais autências de expressão artística e intelectual do ser humano. Questionador, sempre levantou discussões a respeito da fé e do papel do ser humano no plano físico. Grandes cineastas vêm se utilizando do cinema como instrumento para discutir conceitos como a transcendência e a evolução – ir além do que está ao nosso alcance e ampliar nossos conceitos sobre a vida e o universo. Continuar lendo “Cinema e Espiritualidade”

Ted 2 (2015)

O ursinho de pelúcia mais desbocado, maconheiro, politicamente incorreto e amigo para todas as horas está de volta. Mas antes de começarmos a falar sobre o filme, vale um esclarecimento: se você gostou do primeiro Ted, grandes são as chances de você gostar bastante deste aqui. Agora, se você não conseguiu encarar o humor bem peculiar de Seth MacFarlane da primeira vez, as suas chances de achar esta nova empreitada meramente interessante são praticamente zero.
Continuar lendo “Ted 2 (2015)”

Expresso do Amanhã (2013)

Os mais atentos perceberão em Expresso do Amanhã uma série de semelhanças com o recente Elysium e a série Jogos Vorazes, principalmente no que se refere ao apartheid social retratado nestas obras. Produzido por Chan-wook Park (o outro coreano doido por trás de Oldboy e Segredos de Sangue) e dirigido por Joon-ho Bong (o coreano doido por trás de O Hospedeiro, Mother e Memórias de um Assassino), Expresso do Amanhã é uma curiosa, bizarra e bem-sucedida ficção-científica, uma mistura de blockbuster americano com filme de arte – por mais distantes e heterogêneos estes estilos possam parecer. Continuar lendo “Expresso do Amanhã (2013)”

Corrente do Mal (2015)

Do festival de referências que se tornou o cinema de terror americano, Corrente do Mal não foge à regra. Muito ao contrário. Em seus elementos visuais, narrativos e temáticos é possível encontrar ecos de O Chamado, Halloween, A Hora do Pesadelo, Deixa Ela Entrar – isso sem contar a sua deliciosa trilha sonora oitentista, que emula os melhores momentos do próprio John Carpenter, além dos trabalhos de Giorgio Moroder e Brad Fiedel.
Continuar lendo “Corrente do Mal (2015)”

Frequencies (2014)

Isaac Newton é apaixonado por Marie Curie. Infelizmente, Zak e Marie não podem passar mais de um minuto próximos um do outro, já que operam em frequências distintas, e extrapolar este tempo pode acarretar em consequências devastadoras. Marie opera em uma frequência altíssima, o que lhe garante uma harmonia completa com a natureza, além de sorte, inteligência e uma incapacidade de esboçar qualquer tipo de sentimento – um robô, como ela mesmo se chama. Continuar lendo “Frequencies (2014)”